Quem foi o cineasta finlandês Aki Kaurismäki?

Quem foi o cineasta finlandês Aki Kaurismäki?

Quem é fã da sétima arte provavelmente já deve ter ouvido falar no cineasta Aki Kaurismäki que, no seu currículo oferece uma amostra do melhor que o cinema pode oferecer em forma de cultura e arte para todas as pessoas.

O cinema é lotado desses nomes que pouco se conhecem, mas que oferecem tanto como contribuição para a arte – principalmente no que se refere aos grandes nomes do cinema europeu.

E, como não poderia deixar de ser, a Finlândia, que tem tão pouca tradição em cineastas (tendo oferecido apenas mais dois nomes de grande destaque Frans Engström e Renny Harlin) tem o seu grande artista em destaque hoje.

Quer saber mais sobre a vida e obra do cineasta Aki Kaurismäki? Então acompanhe este artigo até o final e descubra mais sobre sua contribuição para a sociedade e para o cinema.

Quem foi o cineasta Aki Kaurismäki?

Provindo de uma família em que seu irmão mais velho, Mika Karismäuki, dirigia filmes e ele co-dirigia, o cineasta Aki Kaurismäki fez a sua estreia solo em 1983 com a adaptação cinematográfica do livro de Fiódor Dostoiévski “Crime e Castigo”.

A adaptação substituía a Rússia pré-revolução pela cidade de Helsínquia à época. Logo em seguida, ganhou notoriedade como filme “Os Leningrados Cowboys vão para a América” de 1989.

Entretanto, dos anos 80 até hoje o diretor realizou 18 filmes de ficção, 3 documentários, além de uma infinidade de curtas-metragens – que nunca deixou de fazer.

Dentre os filmes do cineasta Aki Kaurismäki que mais se destacam podemos citar também “Contratei um Matador Profissional” (que tem Jean-Pierre Léaud no elenco), “O homem sem passado” e mais recentemente “O Porto”.

Tendo dirigido, produzido, escrito e editado ele mesmo seus próprios filmes, o seu estilo é marcado por filmes curtos que satirizam ou parodiam diversos gêneros clássicos do cinema – como o noir, os road movies e musicais.

Junto com o seu irmão fundou a produtora Villealfa – sendo responsável por boa parte da produção cinematográfica de seu país.

Influências

Em sua carreira, diretores como Jean-Pierre Melville e Robert Bresson são influências diretas – principalmente no modo como o roteiro se desenvolve para contar uma história simples.

Além desses, Rainer Werner Fassbinder pode ser enxergado, de acordo com alguns críticos – embora o diretor tenha afirmado que os filmes do cineasta só foram vistos por ele depois de ter realizado os seus.

O diretor também influiu diretamente na carreira do diretor Jim Jamursch (que inclusive está no elenco de “Os Leningrados Cowboys vão para a América”).

Premiações

 

“O Homem Sem Passado” ganhou o Grande Prêmio e o Prêmio do Júri Ecumênico do Festival de Cannes de 2002 – além de ter sido nomeado ao Óscar de melhor filme estrangeiro.

“O Porto” ganhou o Prêmio Fipresci, Menção Especial – Prêmio do Júri Ecumênico e a Palm Dog no festival de Cannes. No Festival de Chicago recebeu o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro.

Seu filme “Luzes na Escuridão” é uma homenagem ao gênero noir, foi selecionado para concorrer à categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Óscar de 2005. Entretanto o diretor decidiu boicotar o prêmio como protesto contra o então presidente dos Estados Unidos na época, George W. Bush.

Recentemente o diretor assumiu seu posicionamento em favor dos refugiados sírios, chegando a fazer elogios à chanceler Angela Merkel. O tema, inclusive, é o centro da trama que movimenta o seu filme mais recente, “O Outro lado da Esperança”, que trata da história de dois refugiados sírios.

Agora que você conhece um pouco mais sobre a história do cineasta Aki Kaurismäki, que tal aprender vendo sua rica filmografia?